Camaçari: Meta do município é curar 85% dos casos de tuberculose em 2017

0

O envolvimento da sociedade no combate à Tuberculose, a quebra do preconceito e a necessidade de medidas que garantam o desenvolvimento social foram as principais mensagens reforçadas durante Sessão Especial realizada pela Câmara de Camaçari, na manhã desta quarta-feira (29/03). O evento foi proposto pelo vereador Gilvan Souza (PR).

 O secretário Municipal de Saúde, Elias Natan, foi convidado para fazer a abertura da sessão. Na oportunidade, destacou o amplo trabalho que vem sendo feito no município através dos grupos de saúde que atuam nas ações preventivas e de tratamento da doença. “Um dos grandes desafios é fazer com que o paciente conclua o tratamento, pois a interrupção provoca transtornos muito maiores, já que fortalece a ação do bacilo causador da doença”, citou.

 A pediatra e pneumologista especialista em Saúde Pública e Gestão em Saúde, Maria Rosário Ribeiro Barretto, apresentou informações sobre diagnóstico e tratamento da doença. “A tuberculose é transmitida através do ar e é causada por um bacilo muito resistente. Por isso, é tão importante manter o paciente em local ventilado, com acesso ao sol e ao calor. Qualquer pessoa que tiver tosse seca ou prolongada por mais de três semanas, um dos principais sintomas em adultos, deve procurar uma unidade de saúde”, explicou.

 Em seguida, o sanitarista e integrante da equipe técnica do Programa Estadual de Controle da Tuberculose/DIVEP/SESAB, Francisco Santana, falou sobre a doença no Brasil, Bahia e municípios prioritários. Segundo ele, de 2004 a 2014, foram diagnosticados 1.202 casos de tuberculose no município, sendo 1.502 novos e 150 reincidências. “Camaçari está entre os municípios prioritários para tratamento da tuberculose. As taxas de incidência aqui já foram maiores que as da Bahia, mas ações de combate seguem derrubando esses índices”, afirmou.

 A enfermeira especialista em Saúde Pública e responsável técnica pelo Programa Municipal de Controle da Tuberculose e Hanseníase, Ana Iara, informou que a principal meta para 2017 é curar, pelo menos, 85% dos casos no município. “Nosso Programa Municipal de Controle da Tuberculose é descentralizado, já que 100% das unidades de saúde fazem atendimento desses pacientes. Temos também dois laboratórios que nos auxiliam no diagnóstico”, informou.

 Por fim, a assistente Social e integrante da Secretaria do Comitê Baiano para o Controle da Tuberculose, Virgínia Isaura Silva Perrucho, reforçou que o envolvimento de toda a sociedade é fundamental para reduzir o número de casos e a mortalidade relacionada à doença. “Este combate é feito através dos programas de saúde, dos investimentos na melhoria de vida da população, e também com eventos como este que ofertam para um grande número de pessoas informações sobre o tema”, destacou.

 O vereador Gilvan Souza (PR) finalizou agradecendo a ampla participação popular. “Atingimos o objetivo desse evento, que foi de difundir informações sobre a doença e sobre as ações de combate disponíveis no município, assim como informar à comunidade onde são feitos os atendimentos. Ficou a mensagem de fortalecimento desta rede de atuação que deve ser feita por toda a sociedade, não só pelos profissionais da área de saúde”, concluiu o parlamentar.

Compartilhe.

Sobre o Autor