Conheça os benefícios do sal rosa e saiba como utilizar

0

A maioria dos brasileiros não dispensa o sal à mesa, gostam de comida com muito sabor, e normalmente acabam exagerando, facilitando assim o aparecimento de alguns problemas de saúde.

O sal deve ser consumido com moderação, independentemente do tipo. No mercado hoje, é possível encontrar muitas opções diferentes de sal. Deixando, muitas vezes, a dúvida de qual sal seria melhor usar.

O mais conhecido e utilizado é o sal de mesa, que é composto basicamente de cloreto de sódio, pois em seu processo de fabricação perdem-se todos os outros minerais. Ele ainda sofre o processo de branqueamento, e o iodo adicionado trata-se de um produto sintético e de difícil absorção pelo nosso organismo. Além de possuir ferrocineto e silicato de alumínio que são substancias químicas que fazem muito mal a saúde.

Outro tipo de sal que está ganhando a mesa dos brasileiros é o sal marinho. Este é uma opção melhor do que o sal de mesa, o iodo contido neste tipo é natural e absorvido facilmente pelo organismo humano. O sal marinho é obtido através da evaporação da água do mar, e não passa pelos processos que o sal de cozinha, sendo mais puro que este.

No entanto, nenhum destes possui tantas vantagens quanto o sal rosa do Himalaia. Para entender melhor suas vantagens, é preciso saber de onde ele vem: Durante muitos anos as ondas depositaram sal “nos pés” da cordilheira do Himalaia, que depois foram cobertos com lava de vulcão, sendo assim, o sal foi extremamente protegido do ambiente e misturado a uma serie de minerais e macrominerais, estando alguns em quantidade mais significativas no sal e outros nem tanto.

Portanto o sal do Himalaia é considerado a melhor opção atualmente, por ser totalmente puro (extraído e lavado a mão, não passa por nenhum processo), possuir um teor de sódio menor do que nos outros sais (enquanto o sal de mesa possui 400 mg de sódio em 1 grama de sal, o sal do Himalaia possui 230 mg de sódio em 1 grama do sal), e por ter em sua composição cerca de 84 minerais, dentre os que estão em quantidade mais significativa temos o cloreto de sódio, sulfato de cálcio, iodo, potássio e magnésio, todos absorvidos mais facilmente pelo organismo.

A cor rosada é devido à mistura de minerais presentes, principalmente ao óxido de ferro. Normalmente, uma quantidade mínima deste tipo de sal, é suficiente para dar o sabor que o brasileiro gosta as preparações, assim diminui-se o risco de exagerar nas quantidades, o que pode evitar o aparecimento de doenças e complicações.

Por tudo isso que o sal rosa do Himalaia mostra ser mais vantajoso do que os outros tipos conhecidos, sendo assim, uma opção mais saudável para utilizar no seu dia a dia e para quem não abre mão do sal na dieta.

Compartilhe.

Sobre o Autor

Nutricionista Francyne Souza CRN5 7834/P, graduada pela Faculdade Nobre de Feira de Santana. Pós-graduanda em Fisiologia do Exercício-Prescrição do Exercício, possui curso de extensão em Analise físico-quimica dos alimentos. Experiência em atendimentos, principalmente com adolescentes e jovens adultos, e em fábrica de alimentos, elaboração de manual de boas práticas de fabricação.